IMPORTANTE!!!

Nascemos, crescemos e vivemos como se a vida fosse apenas um pequeno espaço de tempo que temos para cumprir aqui na terra. Vivemos em busca de um dia melhor , mais interessante que o outro, corremos em busca muitas vezes de alegria, de sucesso, de fama, de uma vida profissional; bem sucedida. Ou simplesmente de viver cada dia como se fosse o ultimo de nossas vidas. Curtir, sair para se divertir, correr, pular, correr, dançar enfim viver correndo para tudo como se não houvesse o futuro a nos esperar. Nos enganamos se pensamos ou vivemos assim, existe um futuro que pode ser eternamente bom ou eternamente ruim, isso só depende do caminho que eu e você procuramos seguir hoje. A Vida como um jardim, que hoje as flores nascem, florescem e amanhã murcham e cai. Mas existe um amor que nos faz viver e eternamente bem, existe um lugar onde as flores não morrerão, onde não haverá cansaço, não haverá nem correria, um lugar onde o senhor preparou para nóis ao seu lado vivermos. Jesus no quer que você deixe de viver. Corra, brinque, se alegre, sorria, seja um jovem feliz, mais lembre-se que você pode ser assim e ter um futuro muito melhor com Jesus na sua vida. Porque Jesus morreu para que nós tenhamos vida e vida com abundância no Senhor. Jesus ama você. Aceite o desafio de conhecer e viver com Jesus.

ATENÇÃO.

ESCLARECIMENTO: ESTE BLOG NÃO TEM A INTENÇÃO DE JULGAR NENHUM TIPO DE CRENÇA OU RELIGIÃO, E SIM LEVAR O CONHECIMENTO E A INFORMAÇÃO AO POVO DE DEUS, E AS PESSOAS, DAS COISAS QUE ESTÃO ACONTECENDO NA INTERNET E NO MUNDO. MUITAS COISAS AQUI PODEM NÃO SEREM VERDADE, POIS TEMOS QUE ANALISAR AS COISAS, E VER O QUE ESTÁ CORRETO OU NÃO. JESUS DISSE: PROVAI DE TUDO E RETEM O QUE É BOM. TAMBÉM DISSE: MEU POVO PERECE POR FALTA DE CONHECIMENTO. E EU DIGO: CONTRA FATOS, NÃO HÁ ARGUMENTOS. PEÇO AOS IRMÃOS QUE OREM POR NÓS.
QUE A PAZ DE JESUS ESTEJA COM TODOS.

Cientistas norte-americanos criam "célula-zumbi"


Os cientistas norte-americanos conseguiram criar um célula que fica viva mesmo depois da morte. 

Por mais paradoxal que seja, a célula morta distingue-se por sua vitalidade. Por exemplo, ela pode tolerar uma pressão mais forte e uma temperatura mais alta do que a comum. Graças a esta descoberta, os cientistas poderão agora preservar o material orgânico para um prazo mais longo. 

A "célula-zumbi" foi descoberta por cientistas da Universidade do Novo México, que acreditam que esta tecnologia será particularmente útil em nanotecnologia e produção industrial. A simples técnica reveste a célula com uma solução de sílica para formar uma réplica quase perfeita da sua estrutura. 

A simples técnica reveste a célula com uma solução de sílica para 
formar uma réplica quase perfeita da sua estrutura. A técnica pode simplificar uma larga variedade de processos de fabricação comercial de nano a  macroescala. Ela também permite que os cientistas preservem as células até os sulcos menores de seu DNA.

O trabalho utiliza as células como modelos, ou moldes, nos quais depositam a sílica. A partir da célula viva, esse processo cria estruturas de sílica endurecidos que têm a mesma aparência que a célula anteriormente vida, mas pode sobreviver maiores pressões e temperaturas do que a carne humana, e pode executar algumas funções melhor do que quando estavam vivas.

Agora, é muito desafiador para os pesquisadores construir estruturas em escala nanométrica. Mas pense por um minuto se não  recisarmos de construir esses componentes. Em vez disso, os pesquisadores poderiam encontrar células que possuem o maquinário correto, e então usá-los como um molde para copiar a peça. No futuro, usando a química ou a padronização de superfície, eles podem até mesmo ser capazez de ordenar células formarem o que eles precisam.

O processo de construção é relativamente simples: Tire algumas células flutuantes de mamíferos, coloque-os em uma placa de petri e adicione ácido silícico. O ácido silícico, por razões ainda pouco claras parcialmente, entra sem entupimento e embalsama em cada organela na célula a partir do micro à escala nanométrica.

A sílica forma uma espécie de armadura permeável ao redor da proteína da célula viva, o que permite aos investigadores 
utilizar a célula como um catalisador em temperaturas e pressões inimagináveis por natureza.

Ao aquecer a sílica em uma temperatura relativamente baixa (400 Cº), o material orgânico da célula - a sua proteína - evapora e deixa a sílica em uma espécie de réplica tridimensional de cera de um ser vivo. A diferença é que em vez de modelar o rosto, digamos, de um famoso criminoso, as células endurecidos à base de sílica exibir internos estruturas mineralizadas com características complexas que vão desde a escala nanométricas até a escala de milímetros 
de comprimento de comprimento.

Isto significa tomar um material biológico mole potencialmente valioso e convertê-lo em um fóssil que os pesquisadores podem arquivar indefinidamente.

Ao aquecer a sílica a temperaturas elevadas, as experiências mostram que a célula pode ser reversamente moldada. Em outras palavras, na mesma maneira que a queima de madeira no ar deixa um resíduo de fuligem sem estrutura, o método de aquecimento  ombie resulta em uma estrutura de carbono de alta qualidade. A subsequente dissolução do suporte de sílica subjacente reduz a resistência eléctrica da célula cerca de 20 vezes. Tais materiais teriam utilidade substancial em células de combustível, descontaminação e de 
sensores.

Resumindo, o pesquisador Bryan Kaehr, um cientista de materiais, oferece o que pode ser a primeira distinção na literatura científica entre uma célula múmia e uma célula zumbi. "Rei Tut foi mumificado", disse ele, "a cerca de assemelhar-se a sua vida própria, mas o processo ocorreu sem mineralização [um processo de fossilização]. Nossa química zumbi ponte células e biologia para criar formas que não só quase perfeitamente lembram os seus próprios passados, mas pode fazer o trabalho futuro."

Fonte


http://www.anovaordemmundial.com

Nenhum comentário: