IMPORTANTE!!!

Nascemos, crescemos e vivemos como se a vida fosse apenas um pequeno espaço de tempo que temos para cumprir aqui na terra. Vivemos em busca de um dia melhor , mais interessante que o outro, corremos em busca muitas vezes de alegria, de sucesso, de fama, de uma vida profissional; bem sucedida. Ou simplesmente de viver cada dia como se fosse o ultimo de nossas vidas. Curtir, sair para se divertir, correr, pular, correr, dançar enfim viver correndo para tudo como se não houvesse o futuro a nos esperar. Nos enganamos se pensamos ou vivemos assim, existe um futuro que pode ser eternamente bom ou eternamente ruim, isso só depende do caminho que eu e você procuramos seguir hoje. A Vida como um jardim, que hoje as flores nascem, florescem e amanhã murcham e cai. Mas existe um amor que nos faz viver e eternamente bem, existe um lugar onde as flores não morrerão, onde não haverá cansaço, não haverá nem correria, um lugar onde o senhor preparou para nóis ao seu lado vivermos. Jesus no quer que você deixe de viver. Corra, brinque, se alegre, sorria, seja um jovem feliz, mais lembre-se que você pode ser assim e ter um futuro muito melhor com Jesus na sua vida. Porque Jesus morreu para que nós tenhamos vida e vida com abundância no Senhor. Jesus ama você. Aceite o desafio de conhecer e viver com Jesus.

ATENÇÃO.

ESCLARECIMENTO: ESTE BLOG NÃO TEM A INTENÇÃO DE JULGAR NENHUM TIPO DE CRENÇA OU RELIGIÃO, E SIM LEVAR O CONHECIMENTO E A INFORMAÇÃO AO POVO DE DEUS, E AS PESSOAS, DAS COISAS QUE ESTÃO ACONTECENDO NA INTERNET E NO MUNDO. MUITAS COISAS AQUI PODEM NÃO SEREM VERDADE, POIS TEMOS QUE ANALISAR AS COISAS, E VER O QUE ESTÁ CORRETO OU NÃO. JESUS DISSE: PROVAI DE TUDO E RETEM O QUE É BOM. TAMBÉM DISSE: MEU POVO PERECE POR FALTA DE CONHECIMENTO. E EU DIGO: CONTRA FATOS, NÃO HÁ ARGUMENTOS. PEÇO AOS IRMÃOS QUE OREM POR NÓS.
QUE A PAZ DE JESUS ESTEJA COM TODOS.

ONU e Israel Começam o Linchamento do Oficial que Denunciou a Farsa do 11 de Setembro.

Por Claudio Marcius Melfi

Parece que Richard Falk, ex-professor de direito da Princeton University e oficial da ONU, que em seu blog atestou claramente que os ataques de 11 de Setembro teriam sido orquestrados pelo governo americano, realmente mexeu em um ninho de marimbondos.

O post no blog de Richard Falk (de 11 de Janeiro) pode ser lido aqui. O trecho que causou toda esta controvérsia está no quinto parágrafo.

Apesar da gravidade de sua opinião, e interessante notar que até o momento somente um veículo tradicional de mídia divulgou o 
fato - o jornal britânico The Telegraph, que publicou ultimo dia 25 o artigo "UN human rights official claims 9/11 was US plot". O que não quer dizer que suas declaracões surtiram pouco efeito. O alto escalão da ONU esta se movimentando para destruir a credibilidade de Falk, que deve ser demitido em breve.

Acabei de pesquisar seu nome na Wikipedia, e vi que suas informações foram editadas ha poucas horas. No pé do artigo sobre Richard Falk pode ser vista a mensagem "This page was last modified on 27 January at 03:55". Vale a pena voltar a esta página futuramente, para ver como "a verdade" vai sendo modificada de acordo com interesses escusos. Provavelmente até o momento em que alguem ler este post já haverá algum outro "complemento" na biografia dele.

Incrível como eles trabalham rapido para destruir biografias. Logo no inicio do artigo, ja pode-se ler: " Falk foi condenado pelo Secretário Geral da ONU Ban Ki-Moon e outros por sugerir que a administração de George W. Bush, e não a al-Qaeda, foi responsável pelos ataques de 11 de Setembro" [2].

Ok, fui entao e essa nota [2], mencionada na introducao do artigo e o link leva a um artigo do jornal "Jerusalem Post", de 25 de Janeiro, entitulado "Falk's 9-11 remarks are condemned by UN sec.-gen". Por que será um jornal de Israel?

[Imagem: 220px-UN_Watch_logo.JPG]Outro ataque a Falk veio atraves do Grupo "UN Watch", uma ONG baseada em Genebra cuja missão declarada e "monitorar a performance da ONU", e que detem "Status de Consultora Especial" do Conselho Econômico e Social da ONU, e de "ONG Associada ao Departamento de informações Públicas da ONU", além de ser afiliada ao Comite Judaico Americano (American Jewish Commitee), uma organização que tem por objetivo "defender direitos de judeus em todo mundo".

Em seu blog na internet, UN Watch posta uma carta do Gabinete Executivo do Secretário Geral da ONU, aonde Ban Ki-moon declara que a posição de Falk e uma afronta as mais de 3000 pessoas que morreram no ataque, chamando a atenção para o fato de ser raro a ONU condenar um de seus proprios oficiais.

A carta foi uma resposta a Hilel Neuer, diretor executivo da UN Watch, que pediu a cabeca de Falk de uma forma muito clara: "Acolhemos a inequivoca condenacao do Secretario Geral aos despreziveis comentarios por este oficial do Conselho de Direitos Humanos da ONU, e exortamos o Sr. Ban, junto com Navi Pillay, a dar o próximo passo e remover Falk- que é um transgressor serial (o termo em ingles foi 'serial offender') com credibilidade zero".

Mas qual seria a ligação de Falk e suas declaracões com Israel, e porque pode-se notar tamanha virulência vinda de entidades defensoras dos interesses israelenses?

Para responder a essas perguntas, basta dar uma olhada no trabalho que Falk vem realizando dentro do Conselho de Direitos Humanos na ONU. Ele tem monitorado a situação dos direitos humanos durante os conflitos entre Israel e Palestina, chagando a comparar a ocupação israelense e o tratamento que o governo sionista dispensa aos arabes da região com o tratamento nazista aos judeus durante o holocausto.

Tal posição de Falk ja lhe rendeu problemas com Israel anteriormente, como quando o governo de Israel negou sua entrada para uma visita oficial em Dezembro de 2008, quando visitaria os territorios ocupados. Sua entrada foi negada no aeroporto Ben-Gurion, e ele teve que retornar a Genebra imediatamente. O fato foi reportado na epoca em um artigo entitulado "Israel turns away U.N. human rights official who compared the country to Nazi Germany", pelo jornal Daily Mail.

PS: Richard Falk e judeu.

Nota do autor do blog: Gostaria de agradecer ao nosso mais novo colaborador, Claudio Marcius Melfi, por este ótimo artigo, que foi publicado originalmente em nosso fórum de discussões, onde este vem dando valiosa contribuição.

Retirado do blog de Falk, sobre sua identidade judaica:
"Como alguém que é judeu e apoia a luta palestina por uma paz justa e sustentável, muitas vezes me perguntam sobre a minha identidade. Os críticos mais ferrenhos do meu entendimento sobre o conflito Israel / Palestina alegam que eu sou um judeu que se odeia, o que implica que fortes críticas de Israel e o sionismo sejam incompatíveis com a afirmação de uma identidade judaica. Claro que eu nego isso. Para mim, ser judeu é, acima de tudo, estar preocupado com a superação da injustiça e sede de justiça no mundo, e isso significa ser respeitoso para com outros povos, independentemente da sua nacionalidade ou religião, e compreensivo em face do sofrimento humano, quem quer que e onde quer que vitimização é encontrado. Com essa orientação, eu poderia, mas não irei, devolver o insulto, e dizer que aqueles que apóiam as crueldades das políticas de ocupação de Israel são os reais judeus que se odeiam, já que eles se afastaram da clareza moral dos profetas do Antigo Testamento, que é a luz brilhante do Antigo Testamento na superação das façanhas sangrentas dos antigos israelitas. Assim interpretada, o mandato bíblico para um comportamento justo se estende a toda a humanidade."
Fontes:

Nenhum comentário: