IMPORTANTE!!!

Nascemos, crescemos e vivemos como se a vida fosse apenas um pequeno espaço de tempo que temos para cumprir aqui na terra. Vivemos em busca de um dia melhor , mais interessante que o outro, corremos em busca muitas vezes de alegria, de sucesso, de fama, de uma vida profissional; bem sucedida. Ou simplesmente de viver cada dia como se fosse o ultimo de nossas vidas. Curtir, sair para se divertir, correr, pular, correr, dançar enfim viver correndo para tudo como se não houvesse o futuro a nos esperar. Nos enganamos se pensamos ou vivemos assim, existe um futuro que pode ser eternamente bom ou eternamente ruim, isso só depende do caminho que eu e você procuramos seguir hoje. A Vida como um jardim, que hoje as flores nascem, florescem e amanhã murcham e cai. Mas existe um amor que nos faz viver e eternamente bem, existe um lugar onde as flores não morrerão, onde não haverá cansaço, não haverá nem correria, um lugar onde o senhor preparou para nóis ao seu lado vivermos. Jesus no quer que você deixe de viver. Corra, brinque, se alegre, sorria, seja um jovem feliz, mais lembre-se que você pode ser assim e ter um futuro muito melhor com Jesus na sua vida. Porque Jesus morreu para que nós tenhamos vida e vida com abundância no Senhor. Jesus ama você. Aceite o desafio de conhecer e viver com Jesus.

ATENÇÃO.

ESCLARECIMENTO: ESTE BLOG NÃO TEM A INTENÇÃO DE JULGAR NENHUM TIPO DE CRENÇA OU RELIGIÃO, E SIM LEVAR O CONHECIMENTO E A INFORMAÇÃO AO POVO DE DEUS, E AS PESSOAS, DAS COISAS QUE ESTÃO ACONTECENDO NA INTERNET E NO MUNDO. MUITAS COISAS AQUI PODEM NÃO SEREM VERDADE, POIS TEMOS QUE ANALISAR AS COISAS, E VER O QUE ESTÁ CORRETO OU NÃO. JESUS DISSE: PROVAI DE TUDO E RETEM O QUE É BOM. TAMBÉM DISSE: MEU POVO PERECE POR FALTA DE CONHECIMENTO. E EU DIGO: CONTRA FATOS, NÃO HÁ ARGUMENTOS. PEÇO AOS IRMÃOS QUE OREM POR NÓS.
QUE A PAZ DE JESUS ESTEJA COM TODOS.

Excesso de extração de água causa rachaduras .

Excesso de extração de água causa rachaduras gigantes no solo do México

Fenda no México

A estabilidade do solo é um problema sério na capital mexicana

A Cidade do México está sofrendo com rachaduras gigantes no solo que ameaçam comunidades inteiras. De acordo com as autoridades, o problema se deve ao excesso de extração de água na capital e nos arredores, onde o solo não é estável. Dados oficiais revelaram que há risco de afundamento em oito delegações da cidade, onde vive mais de um milhão de pessoas.

Os moradores de Villas San Martín, no município de Chalco, a leste da Cidade do México, levaram um susto no início de junho, quando um forte ruído foi ouvido e várias casas tremeram.

Do lado de fora, eles encontraram uma rachadura de quase um quilômetro de extensão e seis metros de largura.

"Escutamos um barulho muito forte que vinha de baixo, e logo vimos que o chão estava se abrindo. Me assustei porque tudo aconteceu em poucos segundos", disse à BBC a moradora Martha Ortíz.

'Círculo Vicioso'

O governo mexicano já localizou 172 fendas como a de Chalco, além de 250 comunidades construídas sobre túneis e minas antigas.

As rachaduras no solo se tornam mais frequentes na época de chuvas, que começa em maio e termina em setembro. Segundo Jorge Legorreta, da Universidad Autónoma Metropolitana, o problema se agravou nos últimos dez anos.

"A cidade não tem fornecimento de água de fontes externas e a situação foi resolvida com a extração do subsolo. É um círculo vicioso difícil de ser rompido", explica ele.

Legorreta alertou que as fendas no solo continuarão aparecendo enquanto não se encontrar uma alternativa para a prospecção de água.

A população que vive em terrenos com minas e túneis subterrâneos também está em risco permanente.

Fenda no México

As fendas no chão se tornam mais frequentes na temporada de chuvas

"É um problema que já tem muitos anos e que estamos resolvendo, mas no passado casas inteiras se afundaram", diz o administrador local José Luis Zamorra.

Túneis e minas

Desde 1930, várias regiões foram escavadas para que terra e pedras fossem usadas na construção da Cidade do México. As minas e túneis foram fechados, mas sem que os buracos fossem preenchidos e sem que eles fossem mapeados.

Infiltrações de água, o peso das casas e a circulação de carros na superfície acabaram debilitando o teto e as paredes das minas, aumento o risco de desabamento.

"Fizemos estudos de geofísica rua a rua em algumas regiões para encontrar (os túneis e minas), mas alguns foram escavados a 40 metros de profundidade. Uma vez localizamos um que tinha três níveis", contou o Zamorra.

Apesar dos perigos de se viver em zonas de risco, a capital mexicana continua crescendo e as áreas de maior expansão são justamente os municípios ao redor da cidade, mais afetados pelo problema.

Nos últimos dez anos, cerca de 260 mil novas casas foram construídas, aumentando a pressão sobre o abastecimento de água.

Nenhum comentário: